Tel. (31) 3431-8000 | 3431-8001 • Fax (31) 3431-8002 • Email: ivisao@ivisao.com EnglishPortuguese

DMRI – Degeneração Macular Relacionada à Idade

O Instituto da Visão utiliza os mais modernos tratamentos para Degeneração Macular Relacionada à Idade, disponíveis a nível mundial.

Contamos com uma equipe diferenciada e altamente especializada, sendo uma das poucas instituições brasileiras que participa de Estudos Multicêntricos Internacionais, juntamente com pesquisadores americanos, europeus e asiáticos.

Em conjunto com Universidade Federal de Minas Gerais, o Instituto da Visão promove pesquisas científicas originais, que são continuamente publicadas em periódicos especializados internacionais ao longo dos anos.

Todo esse conjunto cria um diferencial único, possibilitando recuperação da visão de muitos pacientes com Degeneração Macular e outras doenças vitreorretinianas, o que torna o Instituto da Visão como centro de referência para tratamento de casos de alta complexidade.

Contamos com os mais modernos equipamentos disponíveis no mercado mundial, o que permite diagnósticos precoces e rastreamento das doenças com grande rigor científico e resultados clínicos expressivos.

Saiba mais sobre a Degeneração Macular?

A Degeneração Macular é uma doença que acomete a mácula, uma pequena área no fundo do olho, que permite enxergar claramente pequenos detalhes. Quando a mácula não funciona de maneira correta, experimentamos embaçamento ou escuridão no centro de nossa visão. A Degeneração Macular afeta tanto a visão de longe quanto a de perto, podendo dificultar ou impedir algumas atividades, tais como leitura e trabalhos manuais.

Embora a Degeneração Macular reduza a visão central, ela não prejudica a visão lateral, ou periférica, do olho. Por exemplo, uma pessoa afetada pode ver o contorno de um relógio, mas é incapaz de enxergar as horas. A Degeneração Macular, geralmente, não resulta em cegueira total, pois as pessoas continuam a desfrutar de alguma visão útil, o que lhes proporciona uma relativa independência.

 

O que provoca a Degeneração Macular?

Algumas pessoas idosas desenvolvem a Degeneração Macular como parte do processo natural de envelhecimento do organismo. Estudos recentes têm mostrado que existe uma predisposição genética para a Degeneração Macular. O Instituto da Visão, em parceria com a UFMG, tem desenvolvido pesquisas avançadas para identificar, em cada paciente, os genes que poderiam estar associados à doença. Essa identificação pode ser muito útil na prevenção e tratamento da Degeneração Macular, tanto para o paciente como para os seus familiares.

Os dois tipos mais comuns de Degeneração Macular Relacionada à Idade são a “seca”, também chamada atrófica, e a “úmida”, também chamada exsudativa.

 

DEGENERAÇÃO MACULAR “SECA” (ATRÓFICA)

Snap 2015-10-15 at 15.44.50

A maioria dos portadores de Degeneração Macular apresenta a forma “seca”. Esse tipo é causado por uma alteração degenerativa nos tecidos da mácula, ocasionando uma perda lenta e gradual da visão central.

 

DEGENERAÇÃO MACULAR “ÚMIDA” (EXSUDATIVA)

Snap 2015-10-15 at 15.45.10

A Degeneração Macular “úmida” é responsável por cerca de 10% de todos os casos. Embora seja menos frequente, ela é potencialmente mais grave que a forma seca. Ocorre quando vasos sanguíneos anormais se formam no fundo do olho. Esses novos vasos sanguíneos extravasam fluido ou sangue, prejudicando a visão central. Nesses casos, a perda de visão pode ser rápida e grave.

 

Quais os sintomas da Degeneração Macular?

Os sintomas podem ser imperceptíveis nos estágios iniciais. Às vezes, apenas um dos olhos apresenta a baixa de visão, enquanto o outro continua a enxergar bem durante muitos anos.

Entretanto, quando ambos os olhos são afetados, a diminuição da visão central pode ser percebida mais precocemente. Os sintomas mais freqüentes são:

Aparência borrada das palavras;
Área escura ou vazia no centro da visão;

 

Como é diagnosticada a Degeneração Macular?

Muitas pessoas não sabem que têm um problema macular, até que a visão fique “embaçada”. Seu oftalmologista pode detectar os primeiros sinais de degeneração da mácula durante um exame que inclui os seguintes passos:

EXAME DO FUNDO DE OLHO (OFTALMOSCOPIA);
TESTE DA TELA DE AMSLER
FOTOGRAFIAS DO FUNDO DE OLHO COM E SEM CONTRASTE:
Corantes fluorescentes são injetados na veia, e o fundo do olho é fotografado à medida que esses corantes passam pelos vasos sanguíneos. Esse exame é feito com dois diferentes corantes chamados Fluoresceína (Angiografia Fluoresceínica) e Indocianina Verde (Videoangiografia Digital com Indocianina Verde).
TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA (OCT):
É um exame moderno que permite estudar detalhadamente as camadas da retina e estruturas oculares adjacentes. Dessa forma, ela auxilia o médico a decidir se há necessidade de tratamento e qual o mais indicado.

 

Como é tratada a Degeneração Macular?

Há várias modalidades de tratamento para a Degeneração Macular. Na Degeneração Macular “Seca”, o uso de uma combinação adequada de vitaminas e sais minerais pode impedir ou retardar a perda da visão.

Para a forma “úmida” os seguintes tratamentos são disponíveis: uso de medicamentos antiangiogênicos, Terapia Fotodinâmica (PDT), Fotocoagulação com Raios Laser e Cirurgia. Atualmente, os medicamentos antiangiogênicos são utilizados para tratamento da maioria dos casos de Degeneração Macular “úmida”.

ANTIANGIOGÊNICOS: Esses medicamentos inibem o crescimento ou possibilitam a regressão dos vasos anormais, localizados abaixo da mácula. Isto permite a estabilização e, muitas vezes, a melhora da visão. São aplicados por via intraocular, preferencialmente, em centros cirúrgicos ambulatoriais. Para controlar bem a doença, frequentemente é necessário repetir as injeções.

TERAPIA FOTODINÂMICA (PDT): Esse tratamento é utilizado em algumas formas especiais da Degeneração Macular Relacionada à Idade ou em combinação com os antiangiogênicos. Outros medicamentos, como alguns tipos de corticoesteróides, podem também ser utilizados em associação com os antiangiogênico e/ou com a Terapia Fotodinâmica (PDT).
Alguns tipos de Degeneração Macular “úmida” podem, ocasionalmente, ser tratados por meio de Fotocoagulação a Raios Laser ou cirurgia.

Os pacientes com baixa de visão acentuada podem ser beneficiados com prescrição de lentes especiais e dispositivos ópticos, tais como: lupas, telelupas, circuito fechado de TV e outros.

Todos esses tratamentos, assim como os dispositivos ópticos, estão disponíveis no Instituto da Visão e têm beneficiado milhares de pacientes, do Brasil e do exterior.